domingo, 17 de fevereiro de 2013

O Parque Güell

Quem viaja pela Europa vê muitos lugares lindos, deslumbrantes, diferentes, em pouquíssimos dias. Às vezes acho que até há uma overdose de beleza, o que faz com que não consigamos prestar atenção em tudo que deveríamos. É muita coisa chamando nossa atenção, para aprender, descobrir. O cérebro acaba sendo super estimulado. Antes de dormir, quando não estou morta de cansada e "apago" na hora, fico me lembrando de tudo que vi no dia.    

Dentre os inúmeros lugares, entre o belo, o diferente, o novo, sempre há os preferidos. Os que mais te chamam a atenção, os que mais te tocam, os que te emociona, os que te fazem sentir bem. Acho loucura as pessoas que ficam comparando e discutindo que lugar é melhor ou mais bonito, pois isso depende muito do ponto de vista de cada um é algo muito pessoal. 

Hoje conheci um lugar que ficará entre os meus preferidos, o Parque Güell.


O Parque Güell, em 1984 foi classificado pela Unesco como Patrimônio Humanidade e, segundo a Wikipédia:

"O parque foi concebido por Güell e Gaudí como um conjunto estruturado onde, dentro de um incomparável quadro de beleza natural, se situariam habitações de luxo, com todos os progressos tecnológicos da época e acabamentos de grande qualidade artística".
Pelo jeito não deu certo o empreendimento dos dois, para o bem da humanidade, que hoje pode desfrutar de um lindo parque. Nele estão inúmeras obras de Gaudí. Os mosaicos são lindos. O colorido chama muita atenção." 


Além da arquitetura e dos mosaicos, a natureza do local colabora...


...e não bastasse Gaudí, natureza, tem mais a vista de Barcelona, o mar ao longe...


Amanhã sigo o passeio por Barcelona e a procura e visita a outras obras de Gaudí. 
Aqui um foto minha com "ele".


Na ocasião da morte do fantástico arquiteto, como Gaudí na sua velhice (embora suas obras fossem muito famosas) não era uma pessoa reconhecida pelas pessoas, ocorreu um fato inusitado.  
"No dia do fatal incidente que ocasionou a sua morte, Gaudí estava pobremente vestido. Quando o trem o investiu ninguém reconheceu o arquiteto que foi confundido com um mendigo por causa de suas roupas humildes e porque não tinha em seu poder nenhum documento. Dois dias depois, em 9 de junho de 1926, Antoni Gaudí morreu num hospital da Cruz Vermelha depois de ter dedicado os últimos 12 anos da sua vida exclusivamente àquela que era conhecida como 'A Catedral dos Pobres'."

3 comentários:

  1. De fato as obras de Gaudí são autênticas criações de um gênio, o Park Güell é um ótimo e belo exemplo.

    ResponderExcluir