sábado, 28 de fevereiro de 2009

Happy Birthday Luciana!


Ontem foi o aniversário da pessoa com quem eu mais brinquei e briguei na vida. Que teve um apelido horrível durante a infância, Pepa ou Peposa, por culpa minha (sabem, naquela época os ursos Peposos estavam muita na “moda” e como eu tinha a Peposa e os Peposinhas, achava que minha irmã devia se chamar Peposa). Com quem eu há 23 anos divido o que tenho de mais precioso: minha mãe, meu pai, meu irmão e minha casa. Minha companheira de quarto por muitos anos.

Ontem, o “bebê” da casa, já completou 23 anos, não sei se irão acreditar, mas minha lembrança mais antiga é a do dia que ela chegou em casa (estávamos com a minha vó, esperando a maninha chegar e eu achava que ia chegar a menininha para eu brincar e chegou uma coisinha minúscula do tamanho das minhas bonecas).

Algumas pessoas acham nossas aparências iguaizinhas, outras completamente diferentes, já fomos confundidas. Algumas pessoas não sabem como duas irmãs podem ser tão diferentes de temperamentos e personalidade, mas eu afirmo que embora sejamos completamente diferentes em alguns aspectos em outros somos idênticas.

Luciana, felicidades nessa tua “nova idade”. Obrigada por me concederes a maravilhosa experiência de ter uma irmã. Tenho certeza que ainda vão existir algumas brigas e discussões entre nós, mas tenho mais certeza ainda que vamos conviver muito e que poderemos contar sempre uma com a outra. Muitos beijos e feliz aniversário!

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

L'Étrange Histoire



Em vários dos blogs que eu costumo ler encontrei comentários acerca do filme “O estranho caso de Benjamin Button” . Antes de eu ir viajar, já tinha ouvido falar no filme, não sobre a história dele, mas sim sobre o elenco e sobre a expectativa que existia em relação a ele.

Eu estava na estação de trem em Paris, esperando o trem para Clermont, olhando uns livros. Estava pensando se comprava ou não algum livro para mim, pois não tinha certeza sobre a minha habilidade de ler um livro todo em francês. Gosto de livrarias, então fiquei olhando os livros por lá, até que me deparado com um livro, bem pequeno e baratíssimo (um euro e cinquenta) sobre o filme e resolvo comprar, pois se não entendesse muito bem podia ver o filme depois e se não entendesse nada pelo menos tinha sido bem barato. Me sentei e comecei a ler. Li a contra capa e a introdução, e então pensei, que era melhor deixar para ler com um dicionário na frente em outra ocasião, pois achava que estava entendendo, mas não pode ser, um bebê que já nasce velho, achei que eu não estava compreendendo e que as palavras podiam ter outros sentidos que não sabia. Cheguei em Clermont e o livro acabou ficando na mala.

Ontem, lendo os blogs que fizeram comentários sobre o filme, descobri que por mais bizarra que parecesse o que eu estava lendo, a história é essa mesmo, um bebê que nasce velho. E eu subestimando o meu francês!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Criatividade

Nada como a criatividade. Criar algo diferente, fora dos padrões e agradar é um talento que nem todos possuem, mas a pessoa que bolou um barzinho em Clermont Ferrand, o qual não me recordo do nome (Renata, como ele se chama mesmo?), a teve!

Era sexta-feira a tardinha, o dia foi ensolarado, eu já estava com a cabeça na volta para o Brasil (pegaria o trem as 8 e pouco da manhã de sábado para Paris), e um pouco cansada da semana cheia de programações. A Renata também estava com preguiça, mas mesmo assim fomos fazer o Happy Hour com nossos amigos brasileiros, afinal, era meu último dia lá.

O pessoal falou com a maior naturalidade:
- Vamos no barzinho “não sei das quantas”? E ai eles que já conheciam resolveram que íamos lá, mas não comentaram nada sobre o bar, então eu fui imaginando um simples barzinho numa esquina para tomar minha última cerveja em Clermont.

Chegando lá, entrando no local, me surpreendi. O tal barzinho era diferente de todos que eu já tinha ido na minha vida. Imitando um vilarejo medieval, com uma decoração especial e toda própria, o lugar era um charme só. Adorei, e o que seria um simples happy hour se tornou uma grande lembrança da minha viagem, tudo graças a criatividade de alguém.

Além do ambiente acolhedor, às sete horas bateu um sino, o que determinava que a partir daquele momento ao pedir uma bebida de tamanho normal se ganhava uma grande. Às nove horas o sino bateu novamente para avisar que a “promoção” tinha acabado. Adorei tudo!


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

A volta!

E os trinta dias já passaram...

Enquanto eu estava lá, parecia que fazia tanto tempo que eu estava longe do Brasil, mas agora que eu cheguei parece que foi ontem que eu fui. É impressionante como o tempo em viagens corre de forma diferente.

Em um mês estive um doze cidades diferentes (Lisboa, Sintra, Óbidos, Porto, Salamanca, Madri, Toledo, Sevilla, Londres, Paris, Clermont Ferrant , Puy en Valley). Estive hospedada em dez lugares, conheci várias pessoas e muitos lugares novos. Comi em dezenas de lanchonetes e restaurantes. Foi um mês muito bem aproveitado.

Adoro ir viajar, mas voltar para a casa também é muito bom, pois além de matar as saudades, faz parte da viagem contá-las aos amigos, entregar algumas lembrancinhas e mostrar as fotos. Também é bom dormir na minha própria cama, olhar minhas coisas, ter um guarda roupa a minha disposição, usar meu próprio banheiro e comer feijão e arroz.

O ato de desfazer a mala também é interessante. Vejo as coisas que comprei, que embora simples e baratinhas, me fazem relembrar dos momentos da viagem com uma riqueza de detalhes incrível.

Como tudo na vida, a viagem ocasionou perdas e ganhos, ganhei experiência, mais segurança, dois quilos, mil histórias para contar, jogo de cintura, perdi o bronzeado, uma boa parte do verão (que eu tanto gosto), várias ocasiões que eu gostaria de ter estado presente aqui em Pelotas.

Mas digo sem titubear que a viagem valeu muito a pena, tirei umas férias da minha vida, tão bom olha-la de fora, pois ai conseguimos perceber melhor as coisas.

Obrigada por terem acompanhado a viagem toda por aqui, era tão bom chegar a noite e ter alguma notícia daqui, alguma mensagem de vocês, fazia com que eu não me sentisse tão longe.

Ainda tenho muitas histórias da viagem, as quais vou ir contando com o passar do tempo.

No mais, já estou Pelotas, aproveitando o restinho do verão, logo recomeço as atividades, com certeza com mais entusiasmo e pique.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Coisas que só uma viagem faz

Acho que esse talvez seja o último post ainda na Europa.
Amanhã cedo estou indo para Paris e no domingo pela manhã, bem cedinho, pego o avião para voltar.
A viagem esta ótima, mas depois de um mês fora a saudade de tudo e de todos começa a bater.
Mas não parei numa Lan House para falar sobre a minha volta, e sim para falar da importância de não sermos chatos para comer. Eu pelo menos em viagens acabo ficando com bem menos frescuras para comer, comi ovelha, carneiro, sem nem reclamar e provei várias comidas diferentes.
Ontem fui com a Renata num típico restaurante Francês, em um jantar do pessoal do trabalho dela. Ela me avisou antes que sempre que eles iam ao restaurante a maioria comia rã, me perguntou se eu gostava e eu disse que nunca tinha comido, mas que nem queria provar. Ela disse que não tinha problema, porque eu podia comer outra coisa.
Na hora do pedido da comida não deu outra, das vinte e poucas pessoas que estavam no jantar dezoito pediram rã.
Eu pedi outra coisa, mas a Renata me disse que eu deveria pelo menos provar e eu não tava gostando da idéia. Quando a comida chegou eu olhei para o prato de rãs e simpatizei com ele, não era como eu fantasiava. Ai já fui provar sem tanto nojo, pois a aparência era tao boa, e não é que gostei muito de rã. Achei meio gorda a comida, porque ela é frita, mas o sabor era bem bom, algo entre uma galinha e um peixe.
Moral da historia, algo que escutávamos desde pequenos, não diga que não gosta de uma comida sem provar antes.
OBS: a mesma pessoa que está escrevendo esse post e dando esse conselho, não teve coragem de provar escargot, aquilo de tirar o bichinho nojento de dentro da casca e a cor dele não me agradou nenhum pouco, eu já tinha aberto exceção para rã, mas escargot era demais para mim, quem sabe um dia eu ainda crio coragem.
Beijos para todos, logo logo estou de volta.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Jardim Lecoq

Hoje, depois de muitos dias, o sol voltou a brilhar. Coisa boa passear com sol. Fazia dias que ele não aparecia por aqui. Quase que diarimante vou ao Jardim Lecoq, um dos meus lugares preferidos aqui em Clermont, mas teve dias que eu tinha a parque inteirinho para mim. Mas hoje a ida ao parque foi mais divertida, a temperatura subiu um pouquinho (não pensem
que muito, mas está uns 8°C), então havia muitas crianças por lá, os patos estavam bem agitados andando por todos os lados, os cisneis nadavam, e muita gente estava com seus cachorros, tão mais alegre que os outros dias. Aqui estão algumas fotos do Jardim Lecoq.




Paisagens

Estou adorando observar a mudança de paisagens ocasionadas pelo frio. Como não estou acostumada a esse tipo de tempo, sempre ao abrir o janela no ap pela manhã tenho uma surpresa. Em poucos dias foi grande a mudanca da paisagem.



Neve e sol juntos também é algo que me encanta, como podem observar mesmo com sol os picos mais altos continuam com neve.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Notícias do outro lado do oceano

Desculpem a falta de notícias, mas a Renata que me perdoe, mas vou ter que falar, a internet dela é uma porcaria, não fica mais de cinco minutos funcionando e só conecta quando bem entende, por isso ando meio afastada do blog.

Clermont Ferrand é uma cidade universitária, bem interessante para se viver e visitar. Não é uma cidade muito grande, mas é bem desenvolvida. Tem uma catedral bem antiga, construída entre os séculos XI e XII, muito bonita, que no meu entender é uma mistura da Notre Dame (em tamanho reduzido) com a Sainte-Chapele, por causa dos vitrais.

Aqui estou tendo a oportunidade de curtir os hábitos franceses e aprender muito sobre eles.

Passei o final de semana na casa da família de uma amiga da Renata, em Puy-em-Vellay, uma cidade próxima, onde começa um dos caminhos até Santiago de Compostela. Lá também tem uma catedral bem bonita. Pude nesse final de semana observar bem os hábitos dos franceses, como, por exemplo, os alimentares.

Eles comem queijos como sobremesa e acham um absurdo comer queijo pela manhã.

Aqui em Clermont durante a semana tenho visitado vários lugares e conhecido muita gente. Sempre fazemos algum programa diferente. A Renata trabalha durante o dia, mas tenho tido a companhia de amigos dela e tenho feitos passeios e caminhadas sozinha, pois a cidade é tranquila.

Depois de tempos sem postar estou cheia de coisas para contar, mas não vou me estender muito, aos poucos vou contando sobre coisas que aprendi e vi por aqui.

Hoje estou postando, porque tinha que conseguir de qualquer jeito, pois precisava mandar um abração de aniversário de para minha amiga Raquel, que tanto adoro, que dá aulas comigo na Busy Bee, que além de colega é uma amigona. Raquel, aproveita bem teu dia, saibas que lembrei muito de ti hoje e que desejo para ti as melhores coisas sempre.

Para as minhas colegas de faculdade (as quais estão muito relapsas, que nem sei se lêem o blog) um abração pelo nosso aniversário de formatura, parece que foi ontem e hoje faz 3 anos já.

Alguns cliques dos últimos dias:





sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

A resposta de um cartão postal


Adorei essa resposta de um cartão postal que recebi pelo blog na Ana http://roccana2.blogspot.com/
Linda, amei!
Ana, adoro teu blog, sempre arrumo um tempo para ler ele, mesmo estando longe.
Saudades, e mais beijos.

Clermont Ferrand!

Estou em Clermont Ferrand, ontem começou uma nova fase da minha viagem, minha família foi embora e peguei um trem de Paris para Clermont, cidade onde a minha amiga Renata está morando, pois está fazendo doutorado aqui. Vim passar dez dias com ela.
Falo que é uma fase diferente da viagem, porque agora é outro estilo de passeio, nos últimos dias vimos tantas coisas, não paravamos um minuto, faziamos todas as coisas de turistas, mas agora tenho uma oportunidade de conhecer a França de uma maneira diferente, digamos que mais completa.
Primeira coisa o idioma, ontem saimos para jantar com dois amigos da Renata, um brasileiro e uma francesa, embora em algumas situações de para falar português, eles falam francês o tempo todo, o que é ótimo para mim. Entender eu entendo, agora vou ter que me esforçar mais para falar.
Os amigos da Renata são muito simpáticos e acolhedores, esse final de semana vamos passar na cidade da Emilie que fica aqui perto de Clermont Ferrand. Pelo o pouco que vi da cidade gostei dela. É bom de passar um tempo fazendo coisas do cotidiano, pois é a melhor forma de aprender a cultura e os hábitos.
Ontem fomos comer uma pizza e tomar uma cerveja, e embora tivessem nos trazido os copos de cervejas deixaram as taças na mesa, não sabia porque, ai quando chegou a pizza veio junto uma garrafa de água (que eles tiram da torneira mesmo). Nas Galerias Lafayetes em Paris tinha na praça de alimentação uma torneira e uns copos para as pessoas pegarem. A Renata já tinha me falado desse hábito deles, sempre tomam água da torneira nas refeições.
A Renata mora num prédio grande cheio de studios (kitinetes, para nós) e apartamentinhos pequenos, e eu estou impressionada com o silêncio daqui. Aproveitei e pela primeira vez em vinte dias não liguei o despertador, ai dormi quase até as 11 da manhã, estava com o sono atrasado, agora botei meu sono em dia. Acordei e abri a janela e está nevando, essa é a vista da janela:


Quando der mando mais notícias, beijos para todos.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Bonjour!

Olá!
Hoje fomos ao Louvre, fizemos um passeio pelo Sena e fomos na La Defense, estou com um pouco de pressa, então só vou colocar algumas fotos da visita ao Louvre.



terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Languages

Nossa viagem inclui quatro paises, e, também, quatro idiomas. E não venham achando que não são quatro idiomas diferentes e sim três, porque eu conto o português de Portugal como outro idioma, já que é bem diferente do que o nosso.
Para eles elétrico quer dizer bonde, e bonde é ônibus, que também pode ser chamado de auto carro, e multa é coima. Durante um passeio em Madrid que havia uns fones para fazer uma visita guiada, tivemos que trocar a língua para o Espanhol, pois era muito mais fácil de se entender do que o Português.
Na Espanha e na Inglaterra nos viramos, mas ai veio a França. Meu Francês estava bem enferrujado, mas nos dois primeiros dias tinha a Renata para nos ajudar. O primeiro dia eu e a Renata fomos no super com o pai, algumas coisas ela nos traduziu, e o meu Francês está retornando na minha cabeça aos poucos (a necessidade faz isso).
No domingo o pai resolveu ir no super cedo da manhã, antes dos passeios, pois o super só abre pela manhã, ai foi sozinho, demorou e disse que algumas coisas teve dificuldade de achar e não sabia perguntar. Mas trouxe tudo que estava na lista. Chegou a noite e ele fez um strogonofe para nós. Na hora de cortar ele achou a carne meio diferente, mas pensou que era porque era francesa, mas na hora de comermos percebemos que não era carne, não era ruim, mas não era carne o que estávamos comendo. Então decidimos que iamos terminar de jantar para só depois eu ir conferir no lixo o rótulo da embalagem, para não sermos influenciados, já que estávamos comendo.
Depois de comer li na embalagem Coeur du Beoeufs, que o pai comprou achando que era carne para bife, e era, na verdade, coração de boi.
Rimos bastante, aprendemos uma receita diferente, mas sorte que não era nenhuma coisa muito exótica.
Pode ser um conselho de professora de inglês, de quem gosta de línguas, mas não vou deixar de falar que estudar línguas antes antes de sair viajando por ai é essencial, pois assim a viagem se torna mais tranquila e mais aproveitada. Já vim a Paris uma vez sem saber nem oi e tchau em Francês e hoje, embora o meu bem básico, já estou aproveitando mais do que da outra vez.

Au revoir!

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Hábitos Parisienses

Olá!
Por aqui tudo está bem. Hoje estivemos na Saint-Chapele, na Notredame, nas Galerias Lafaietes, no Museu de Cera e passeamos pelo bairro onde fica o Pantheon e a Sorbone.
Além de conhecermos novos lugares, viagens são otimas oportunidades para observar a cultura e os hábitos das pessoas.
Estou encantada com um bom hábito dos franceses, eles estão sempre lendo. A tardinha no Metro sempre mais da metade dos passageiros esta lendo jornais ou livros. Eu adoro ficar observando, fico analisando o que eles estão lendo.
Os livros aqui são bem mais baratos também, mesmo convertendo o valor para reais se paga menos por eles, e a colecão de livros Pockets (menores e mais baratos) é enorme, além deles serem vendidos em muitos lugares.
Banca de revistas, onde eles vendem revistas, jornais, livros, etc, achamos em muitas esquinas.
Está ai um exemplo para o Brasil seguir.
Por falar em livros, estou lendo o livro A Chave de Sara (o qual ganhei de uma colega de trabalho no amigo secreto do final de ano da Promotoria) e já recomendo muito ele! A historia toca muito, se passa concomitantemente na segunda guerra mundial e nos tempos atuais, trata tanto de temas atuais como aborto, relacões pessoais, amor, etc, como tambem de um grave fato ocorrido na segunda guerra, o cenario é Paris, então estou totalmente envolvida com a historia. Realmente o livro vale a pena.
A viagem de trem entre Londres e Paris eu nem senti, pois comecei a ler quando sai de Londres e quando vi ja estava chegando aqui e já tinha lido mais de cem paginas.
Paula, acertasse muito no presente, obrigada!

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Paris

Chegamos em Paris e estava nevando. Ainda bem que a neve não durou muito, pois assim conseguimos ir visitar a Torre Eifel à noite, a qual, para a minha surpresa é muito mais bonita nesse horário. O movimento a noite é intenso, assim como durante o dia. Foi emocionante o passeio.

Presente para Carol

Carol, acabei de chegar da Torre Eifel. Tu deves estar se formando nesse momento. Essa é uma singela homenagem para ti. Um grande beijo, com muito carinho da amiga que te adora muito.

video

Para Carolina

Hoje, não estou escrevendo para mandar notícias da viagem, e sim, para dizer que se fosse possível, me "teletransportaria" para Pelotas, pois hoje é a formatura de uma amiga muito especial.

Carol, estou aqui do outro lado do oceano pensando muito em ti. Tenho certeza do teu sucesso e da tua felicidade, pois és uma pessoa muito especial.

És um presente que eu ganhei. Mesmo a distância saibas que de alguma forma estarei contigo na tua formatura, assim como estarei contigo mesmo quando estiveres longe. Conta comigo sempre, viu?

Fica aqui em público Carol, os meus mais profundos desejos de felicidades para ti, e os parabéns pela formatura, pela pessoa que és, pela tua garra, determinação e inteligência. Te adoro muito Carol, e estou sentida de não estar ai contigo hoje.
Um grande beijo

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Neve em Londres

Londres é uma cidade linda, e a neve deu um charme todo especial para ela. Para vocês conferirem aqui vão algumas fotos!














London

Good morning!
Muitos estao vendo pela televisao a noticia da nevasca em Londres e ficam preocupados. Nao ha razao para isso, pois a situacao esta controlada. Nem chegou a nevar forte enquanto estamos aqui. Os parques estao totalmente cobertos de neve, o que faz com que diariamente tenhamos passeios muito divertidos por eles. Ha duas noites atras, quando estamos chegando no hotel caiu um pouquinho de neve, mas bem leve. Para amanha a previsao e de neve mais uma vez, mas pela manha ja pegamos o trem para Paris. Ate agora posso dizer que a neve nao atrapalhou em nada, alias, so colaborou.
Aqui em Londres as tomadas sao bem diferentes, entao nao estamos conseguindo usar o note e aqui na Lan House nao tenho como botar fotos. Mas assim que der vou botar as fotos da neve, que estao otimas.
Londres e uma cidade muito dinamica, o sistema de transporte e otimo o que faz com que a gente passe o dia de um lado para outro da cidade. Por falar em meios de transportes, ontem a Luciana estava falando que nesse tempo de viagem ja andamos em muitos diferentes (aviao, onibus, trem, metro, funicular, etc...), e realmente foram muitos.
Nos empolgamos com a ida ao Fantasma da Opera e resolvemos repetir a ida ao teatro e ontem fomos ver Lion King, muito legal tambem. Ontem fomos no Museu de Historia Natural. Os biologos da nossa excursao adoraram. Fomos na Harrods, no Hide Park. Hoje vamos ter que dar uma escolhida no que fazer, pois e nosso ultimo dia. As atracoes mais tradicionais como a roda gigante, o Big Ben, as Casas do Parlamento, o passeio pelo Tamisa, Torre de Londres, ja fizemos todas. Amanha partimos para Paris.
Manda mais noticias assim que der.
Kisses

PS: mais uma vez vou falar que a falta de acento se deve a diferenca de teclados, entao por favor, nao reparem, assim que eu chegar ao Brasil eu arrumo as postagens antigas.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Neve

Tenho somente oito minutos para escrever.
Londres esta maravilhosa, coberta de neve. Linda, linda, linda.
Aqui nao temos como usar o computador do hotel e estamos chegando muito tarde, quando a lan house de perto ja esta fechada. Tenho mil historias para contar de Londres e fotos para botar aqui, pois tudo esta lindissimo e a neve da um toque especial na cidade. Quando tiver tempo vou botar as fotos por aqui.
Ontem fomos no Fantasma da Opera, maravilhoso, saimos todos empolgados e cantando do teatro. E perfeito a historia, as musicas e todo o cenario.
Lele, tenho me lembrado muito de ti. Ontem nos parques tapados de neve me lembrava que irias adorar. Agora sim, aqui onde estamos tem muita neve,como tinhas me perguntado, a rua esta cheia de bonecos de neve. Ontem a noite ainda caiu mais um pouco de neve.
Um beijo para todos, adoro ler os comentarios.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Plaza de España

Holla!!
Sevilla é uma cidade bonita, mas perto das outras nas quais fomos não tem tantas coisas para se ver, porém, tem um lugar aqui que foi um dos mais bonitos que eu conheci, a Plaza de España. Entramos num parque bem bonito e depois de uma caminhada chegamos nela. Um lugar lindíssimo, diferente de todos. Então, aqui vai vai uma foto da Plaza da España (tentei botar mais de uma mas a conexão está muito lenta).


Amanhã voltamos até Lisboa e pegamos o avião para Londres, então notícias acho que só depois de amanhã. Kisses

Photos

Buenos dias!
Aqui estão umas fotos de Madri, conforme o prometido.









domingo, 1 de fevereiro de 2009

A primeira vez a gente nunca esquece!

Buenas!

Chegamos a Sevilha! Estou me sentindo uma viajante hoje mais do que nunca, pois estamos hospedados aqui em algo tipo um albergue. Cheio de jovens de varias nacionalidades. E o local com menos conforto que a gente vai ficar, mas ao mesmo tempo, tenho que dizer que e interessante.

Hoje o dia foi quase todo em viagem, pois Sevilha fica ha uns 500 km de Madri, achei que seria uma viagem longa e sem graca, mas estava enganada por uma coisa, pela primeira vez na vida, eu, o Felipe, a Luciana e a Flavia vimos neve!

Estava chuvendo e de repente a chuva comecou a ficar mais espessa, e quando vimos nao era mais chuva e sim neve. Nao durou muito, mas deu para ver os campos ficando brancos. Pena que estavamos numa auto estrada e entao nao deu para parar, mas ja vimos neve pela primeira vez. Um dos nossos desejos para essa viagem.

Nao vou esquecer, dia 1 de fevereiro de 2009, na estrada Madri/Sevilha.